Procerva

News

Por em News 0

Estudo mapeia o setor de microcervejarias artesanais no PR

Estudo mapeia o setor de microcervejarias artesanais no PR

Levantamento foi realizado dentro do projeto de Potencialização das Cervejarias Artesanais, iniciado em 2017

Um estudo inédito realizado por meio de projeto do Sebrae/PR, Associação das Microcervejarias do Paraná (Procerva) e a Faculdade Guairacá, mapeou o setor de microcervejarias artesanais no Paraná. O levantamento identifica a localização das empresas, o perfil socioeconômico dos empresários, principais estilos produzidos, capacidade produtiva instalada, canais de distribuição, entre outras informações do setor.

O levantamento, realizado dentro do projeto de Potencialização das Cervejarias Artesanais, foi produzido por meio de uma cooperação técnico-científica entre as Instituições e concretizado como projeto de extensão proposto pelo colegiado de administração da Faculdade Guairacá, de Guarapuava. Foram pesquisadas 65 empresas no Paraná, de setembro a dezembro de 2017.

Para a coordenadora do curso de Administração, da Faculdade Guairacá, Janete Probst Munhoz, o estudo pioneiro no Estado permitiu o mapeamento de 100% das empresas dentro do período de pesquisa, com a identificação do quantitativo de negócios. “São informações importantes e de interesse do Sebrae/PR e da Procerva, como de qualquer outra entidade que trabalhe em favor do crescimento do mercado e do setor”, pontua. O estudo envolveu acadêmicos de Administração e Psicologia na coleta de dados.

Os dados, conforme explica a consultora do Sebrae/PR, Michele Riquetti Tesser, são um ponto de partida para compreender e acompanhar o desenvolvimento do segmento. “Trata-se de um setor carente de informações para embasar novos estudos que auxiliem na tomada de decisões estratégicas por parte das empresas que compõe o segmento”, avalia Michele. As informações também podem auxiliar na elaboração e oferta de soluções com foco na profissionalização das empresas e ampliação do mercado, seja através do projeto de Potencialização das Cervejarias Artesanais, iniciado em 2017, ou outras instituições interessadas em contribuir com a área.

O presidente Procerva, Richard Buschann, destaca a importância do levantamento no sentido de quantificar o setor, mostrar as regiões com maior densidade de empresas e acompanhar o crescimento do segmento. “Com dados monitorados podemos ter ações mais assertivas em relação ao mercado”, comenta. Ainda conforme Richard, o mapeamento permite identificar regiões onde o segmento ainda não é explorado, permitindo ampliar o número de clientes e de mercado.

O estudo aponta que a maior densidade de fabricantes está em Curitiba e Região Metropolitana, com 26 empresas, e também, nos Campos Gerais, com 11 fábricas. Há polos cervejeiros também no norte, no sul e na região oeste do Paraná, com relevância e tradição no ramo.

O levantamento mostra que 27% das empresas estão no mercado há mais de sete anos, 23% têm entre 3 a 5 anos de atividades, 22% atuam entre 1 a 3 anos, 17% têm entre 5 a 7 anos de atuação e 11% estão há menos de um ano no mercado. Dentre os estilos mais produzidos estão IPA (73,8%), Pilsen (64,6%), Weizen (58,5%), APA (44,6%) e Witibier (32,3%). Além disso, o mapeamento aponta que 58% das cervejarias produzem exclusivamente para suas próprias marcas e 34% terceirizam a produção para outras marcas, também conhecidas como marcas “ciganas”.

A capacidade de produção instalada também foi apurada, e 40% dos entrevistados responderam que podem produzir até 10.000 litros por mês. Outros 38% afirmaram ter potencial de produção entre 10.001 a 50.000 litros, mensalmente.

A maioria dos empresários envolvidos na produção de cerveja artesanal no Paraná tem nível Superior completo (54%), 26% têm pós-graduação e mestrado, 9% possuem Ensino Médio completo, 5% não concluíram o ensino superior, 5% concluíram doutorado e 1% têm formação técnica. ”Com relação à escolaridade do público entrevistado, temos dados impactantes, pois mostram um setor com alto grau de escolaridade se sobressaindo no mercado com produtos inovadores”, comenta Janete, da Faculdade Guairacá.

O Facebook aparece como o principal canal de divulgação dos produtos, com 27,6%. Outros 17,5% apostam no Instagram, enquanto que 15,6% investem em eventos para divulgar a marca. 12,5% das empresas têm site próprio e 11,6% participam de feiras. O mapeamento mostra ainda o recipiente de envase utilizado pelas microcervejarias artesanais: 52% delas usam somente barril, 34% barris e garrafas, 6% barril, garrafa e lata, 5% barril, garrafa e growler e 3% apenas garrafa.

Para o sócio proprietário de uma cervejaria instalada em São José dos Pinhais, Eduardo Vosgerau, conhecer quantos são, onde estão mais concentrados e saber mais sobre o perfil dos empresários do segmento é importante para expandir a área de atuação. “São informações que podem ajudar a área comercial a formar sua estratégia e a saber onde pode atuar com mais força”, diz.

Eduardo conta que o gosto pela produção de cerveja artesanal começou com pequenos lotes de cerveja feitos em casa. O hobby evoluiu para uma produção maior e hoje já são cinco rótulos disponíveis. “É um segmento que vem passando por um crescimento substancial no Brasil, mas que ainda representa 1% do mercado consumidor de cerveja. As informações que temos é que o potencial do mercado atingirá 20% nos próximos anos”, acrescenta. Atualmente, a empresa conta com uma equipe de 10 profissionais e a ideia é incrementar esse quadro e os estilos de cervejas.

Maurício Gusso, gerente de cervejaria em Curitiba, o estudo também pode ser utilizado de forma estratégica pelos empresários do setor no sentido de expandir mercado. A cervejaria curitibana, que está no mercado desde 2002, foi uma das primeiras a se instalar na capital do Estado. “Mostramos ao nosso púbico que a produção está cada vez mais moderna e que, além de Curitiba e Região Metropolitana, pretendemos expandir para outras regiões”, projeta.

Ações

A consultora do Sebrae/PR, Michele Tesser, explica que o projeto de potencialização das cervejarias artesanais, lançado em 2017 pelo Sebrae/PR, tem como foco a qualidade sensorial das cervejas produzidas, acesso a mercados, tecnologia e inovação e gestão de excelência. O projeto terá continuidade em 2018, com a concentração de ações específicas em 30 empresas.

As ações do projeto Da Panela por Mercado, que compreende um ciclo de capacitação para empreendedores potenciais do ramo de cervejas artesanais, terão início em abril, nas cidades de Curitiba e Ponta Grossa. Outra ação é avançar no mapeamento das cervejarias ciganas, que são aquelas que produzem em plantas de terceiros.

No endereço eletrônico http://www.sebraepr.com.br/PortalSebrae/Arquivos-Gratuitos/Mapa-das-Microcervejarias é possível acessar os dados do estudo.

Por em News 0

Festival Brasileiro da Cerveja 2018 em Blumenau

Posicionamento Oficial sobre o não comparecimento de algumas cervejarias associadas a PROCERVA no Festival Brasileiro da Cerveja, em Blumenau no ano de 2018.

A PROCERVA, assim como todas suas cervejarias associadas, reconhecem a importância do Festival Brasileiro da Cerveja para o setor. No entanto em 2018 Os grandes conglomerados cervejeiros voltaram ao festival, e por motivos de recursos limitados, comparado ao dessas grandes cervejarias, nosso acesso ao festival acaba sendo prejudicado e o baixo retorno financeiro impossibilita nossa presença e maior representatividade.

O número elevado de cervejarias expositoras no Festival Brasileiro da Cerveja diminui o ticket médio dos estantes e o crescente valor do ingresso para o público pagante também contribui para este posicionamento. É preciso levar em consideração que incentivos e créditos fiscais que as cervejarias de Santa Catarina possuem, diminuem a competitividade das cervejarias de outros estados.

Importante ressaltar também que a PROCERVA e as cervejarias artesanais que defendem o posicionamento aqui descrito, sempre buscam um diálogo aberto e direto com a organização do Festival. Porém este ano não foi possível encontrar um acordo onde ambas partes concordassem.

Buscaremos focar nossas ações de 2018 em prestigiar e desenvolver festivais próprios e também eventos nos quais os benefícios possam abranger e alcançar um saldo positivo e de interesse tanto para o público participante como para as cervejarias expositoras.

Lembramos portanto que as cervejarias artesanais que aqui se manifestam, que não constitui a totalidade das empresas associadas a PROCERVA, possuem um posicionamento de não comparecerem ao Festival Brasileiro da Cerveja 2018 em Blumenau

Por em News 0

Inscrições abertas para o 2ª Competição de Planos de Negócio de Cerveja

Estão abertas as inscrições para o 2ª Competição de Planos de Negócio de Cerveja.

Inscrições pelo site: www.2cpnc.eventbrite.com.br  

Informações pelo email: eventos@procerva.com.br

O regulamento pode ser baixado aqui.

REGULAMENTO

  1. O QUE É A COMPETIÇÃO DE PLANOS DE NEGÓCIO DE CERVEJA

A 2a Competição de Planos de Negócio de Cerveja (2a CPNC) é uma iniciativa inovadora no mercado cervejeiro brasileiro. Trata-se de uma competição de planos de negócios cervejeiros baseada no discurso de venda conhecido como “Pitch de Elevador” ou “Discurso de Elevador”, para vender uma idéia ou um projeto para um possível cliente ou investidor. O conceito do “Pitch de Elevador” tem a origem no questionamento: se você encontrasse um investidor/cliente no elevador, o que você diria sobre o seu negócio no tempo do elevador chegar no andar desta pessoa? O que faz de você e do seu negócio diferentes e interessantes? O seu projeto aborda algum problema real? Qual a vantagem? Como vocês podem continuar esta conversa?

 

Uma iniciativa conjunta do Pete Slosberg da Pete’s Brewing Company (Palo Alto, CA, USA), Carlo Bressiani da Escola Superior de Cerveja e Malte (Blumenau, SC, Brasil) e da PROCERVA (Associação Paranaense das Micro Cervejarias), esta segunda edição ocorre durante o Festival da Cultura Cervejeira Artesanal (FCCA 2017) de 05 a 13 de agosto em Curitiba.

 

  1. OBJETIVOS

A 2a Competição de Planos de Negócio de Cerveja (2a CPNC) tem como objetivos:

– Estimular a cultura do empreendedorismo e a criatividade no mercado cervejeiro;

– Promover a prática do planejamento empresarial com a estruturação escrita e oral de  idéias;

– Contribuir para que as novas empresas neste ramo possam nascer e se formar de maneira bem planejada;

– Incentivar o espírito de participação com o contato com outros participantes, juízes e possíveis investidores na platéia;

– Treinar a busca de apoiadores (investidores, parceiros, clientes) para projetos.

 

  1. PÚBLICO-ALVO

– A 2a CPNC se destina a estimular novos empreendimentos independentes ainda em fase de planejamento, start-ups, ou fase de desenvolvimento inicial (até dois anos após a constituição da empresa), portanto tem como público alvo específico estudantes de cursos técnicos, de sommelier, graduação, pós graduação e empreendedores que desejam constituir ou constituiram há menos de dois anos uma empresa no ramo cervejeiro. Pode ser um pub, bar, beer truck, microcervejaria, escritório de design de rótulos, escola, envasadora independente, consultor, sommelier, etc.

– A 2a CPNC admite participação individual ou em equipe de até 4 pessoas, sendo que, neste caso, um dos membros da equipe deve ser indicado como líder responsável.

– Cada participante poderá fazer parte de mais de 1 Planos de Negócio.

– Todos os participantes devem ter pelo menos 18 anos completos.

 

  1. ETAPAS E METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO

A 2a CPNC será composta de duas etapas de avaliação:

  • Primeira Etapa: Pré-avaliação dos Planos de Negócio escritos.

Nessa etapa o participante deverá elaborar e enviar um sumário executivo do plano de negócios de 1 a 2 páginas contendo as informações básicas do modelo do negócio. Uma Comissão Avaliadora fará a avaliação dos Formulários dos Planos de Negócio enviados pelos candidatos. Nesta etapa os candidatos poderão ou não ser classificados para a segunda etapa. Não haverá nota ou pontuação para os Planos de Negócios escritos. Apenas um email informando se o candidato passou ou não para a segunda etapa da competição. A inscrição para a primeira etapa ocorrerá apenas online no prazo de 08  a 24 de julho.

  • Segunda Etapa: Avaliação da Apresentação Oral dos Planos de Negócios.

Nesta etapa, o participante que passar na primeira etapa deverá fazer uma apresentação oral de curta duração (entre 4 a 5 minutos), com ou sem o uso de “Pitching Deck” (apresentação de slides) para defender o Plano de Negócios para a Comissão Avaliadora. Rótulos de cerveja e/ou as artes da empresa podem fazer parte da apresentação para mostrar como se integram (ou não) na história da marca. A apresentação não deve incluir informações sobre os ingredientes ou processos de fabricação, a menos que seja algo realmente único ou muito relevante.

 

Após a apresentação os juízes da comissão avaliadora farão perguntas e darão um feedback do Pitch de Elevador. Esteja preparado para discutir durante as perguntas, coisas como Branding, estratégia Go-to-Market, Promoção, finanças e estratégia de Manufacturing (plano de dimensionamento de capacidade inicial e crescimento), etc.

 

Os participantes da segunda etapa já são vencedores, pois foram escolhidos para a segunda etapa e irão  receber um feedback positivo dos juízes para melhorar o seu Pitch, agregando muito ao Plano de Negócios. A Comissão  Avaliadora será responsável pela definição final do vencedor da Competição. Esta segunda etapa ocorrerá na Sexta-feira, dia 11 de agosto durante o Congresso Técnico do Festival Paranaense das Cervejas Artesanais em Curitiba, PR no Auditório do Museu Oscar Niemeyer das 9 as 12 h e será aberto ao público e contará com a presença de possíveis investidores.

 

  1. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

O Plano de Negócios escrito (de 1 a 2 páginas) e o Pitch de Elevador (duração de 4 a 5 minutos) devem responder e elaborar de forma clara e concisa com base nas seguintes questões:

– Qual a necessidade/problema que você deseja resolver?

– Quem é seu público alvo?

– Quais os benefícios do seu serviço/produto, ele resolve a necessidade?

– Qual o seu diferencial/ inovação?

– Qual o potencial e o que você espera com esse discurso?

 

Os juízes irão avaliar cada participante/equipe com base em quão convincente foi a apresentação do seu Plano de Negócio, se o juiz ficou querendo saber mais sobre a empresa como um potencial investidor. As melhores apresentações são aquelas que captam a atenção de um investidor a ponto dele querer de marcar uma reunião de acompanhamento para uma discussão mais aprofundada por acreditar que esta empresa representa um bom  investimento.

 

  1. PREMIAÇÃO

Cada Plano de Negócios que for para a Segunda Etapa receberá 1 entrada cortesia para participar da solenidade de premiação da 2a CPNC que acontecerá durante a PROCERVA FESTA dia 12/08/2017 no Museu Oscar Niemeyer.

 

Serão premiados os três primeiros colocados da seguinte maneira:

1º Colocado:

* Consultoria individual e detalhada com o Pete Slosberg

* 1 vaga gratuita para o curso “Como montar a sua cervejaria” da ESCM em Blumenau, SC (devendo realizar o curso até jul/2018) +  Hospedagem em Blumenau no período do curso (Hotel em quarto simples c/ café da manhã) +  Ajuda de custos para alimentação no período do curso (R$ 30,00/dia)

* 1 vaga gratuita para o curso de “Sommelier de Cervejas” da Universidade Positivo em Curitiba, PR (devendo realizar o curso até jul/2018).

 

2º Colocado:

*Cheque no valor de R$ 1.200,00 em cursos da ESCM (válido até jul/2018)

 

3º Colocado:

* Cheque no valor de R$ 600,00 em cursos da ESCM (válido até jul/2018)

 

 

  1. COMISSÃO AVALIADORA

A Comissão avaliadora será formada por três membros altamente qualificados:

Pete Slosberg: Mentor oficial com a SCORE uma organização que promove aconselhamento gratuito e ilimitado à qualquer pessoa negócios. Em 1986 fundou de Pete’s Brewing Company para produzir cervejas de classe mundial e se divertir fazendo isso. A Pete’s Brewing foi a segunda maior cervejaria artesanal no país e teve 10 anos consecutivos de crescimento anual superior a 100%, produzindo até 500.000 hl/ano até ser vendida.

Ronaldo Flor: Formado em Psicologia pela UNG, Pósgraduado em Psicoterapia Reichiniana pelo Instituto Sedes Sapiente, em Administração pela FAAP e com M.B.A. empresarial pela Dom Cabral/Kellogg. Atualmente Sócio Proprietário da Cervejaria Gaudenbier de Curitiba, PR e Conselheiro das empresas Oxford Porcelanas S.A. e Hunter Fan Co.

Leonardo Jianoti: Economista, empresário e investidor-anjo em diferentes companhias nascentes através da Curitiba Angels e Sócio-fundador da CWB Capital, casa de investimentos especializada em avaliação e venda de empresas, fusões e aquisições e gestão de participações em novos negócios.

 

  1. INSCRIÇÕES

– Cada inscrição tem o valor de R$50,00 + R$4,00 taxas

– O participante individual ou líder da equipe deverá se cadastrar e realizar o pagamento apenas on-line, no período de 08 a 24 de julho de 2017,  apenas pelo endereço eletrônico: www.2cpnc.eventbrite.com.br

– O participante individual ou líder da equipe deverá enviar o Sumário Executivo do Plano de Negócios em formato pdf no período de 08 a 24 de julho de 2017 apenas para o email eventos@procerva.com.br com o Assunto: 2CPNC_Título do Projeto

 

  1. DATAS IMPORTANTES

– 07/07/2017 Divulgação do Regulamento da 2a CPNC

– 08 a 24/07/2017 Inscrição, pagamento e envio do Sumário Descritivo escrito

– 31/07/2017 Confirmação de participação na Segunda Etapa

– 11/08/2017 Segunda Etapa – Apresentações Orais

– 12/08/2017 Resultado do Vencedor divulgado durante a PROCERVAFEST

 

  1. CONSIDERAÇÕES FINAIS

– Somente serão consideradas as inscrições que estiverem em conformidade com as normas estabelecidas neste Regulamento e devidamente pagas e Sumários Executivos enviados até as 23:30 da data limite de 24/07/2017.

– A 2a Competição de Planos de Negócio de Cerveja se reserva o direito de usar qualquer material preparado para a 2a CPNC para promoção e divulgação do evento. A 2a CPNC poderá filmar a competição e usar qualquer parte das filmagens para divulgação.

– As apresentações orais e sessões de perguntas e respostas, são abertas ao público em geral. Quaisquer dados ou informações divulgadas ou discutidos em sessões públicas por participantes devem ser consideradas informações que podem possivelmente entrar no domínio público e os participantes não devem assumir qualquer direito de confidencialidade de quaisquer dados ou informações discutidas, divulgados ou apresentados nestas sessões.

– A 2a Competição de Planos de Negócio de Cerveja não se responsabiliza por direitos autorais do material apresentado pelos participantes.

– Casos omissos, dúvidas, divergências ou situações não previstas neste Regulamento, serão resolvidos pela Comissão Organizadora da 2a Competição de Planos de Negócio de Cerveja.

– Dúvidas e questões devem ser enviadas para o email eventos@procerva.com.br

 

Curitiba, PR, 07 de julho de 2017

Comissão Organizadora da 2a Competição de Planos de Negócio de Cerveja

 

  1. ANEXO

Exemplos:

  1. www.youtube.com/watch?v=V88cK-aYKow&app=desktop
  2. www.youtube.com/watch?v=hTnQKWN9fz8
  3. www.mude.nu/elevator-pitch-apresente-se-no-tempo-de-uma-viagem-de-elevador
  4. www.negociodozero.com.br/como-criar-um-elevator-pitch-eficiente
Por em News 0

Eleita a nova chapa da PROCERVA para o biênio 2017/2018

Na última segunda-feira, 17 de outubro de 2016, foi feita a assembléia geral da PROCERVA para apresentar as contas e conversar sobre as ações da atual gestão. Além de eleger a nova chapa para o biênio 2017/2018.

img_5167

Cervejarias presentes na Assembléia

 

A chapa eleita foi:

PRESIDENTE – Richard Buschmann – Bastards

VICE-PRESIDENTE – Jacir Cavalheiro – BierHoff

TESOUREIRO – Paulo Bobato – Oner

MARKETING – Anuar Tarabai – F#%*ing Beer

DIRETOR DO INTERIOR – Marcus Von Borsten – Von Borsten

CONSELHO FISCAL 1 – Ronaldo Flor – Gauden

CONSELHO FISCAL 2 – Luciano Wengrzinski – Wensky

CONSELHO FISCAL 3 – Ricardo Seara – Ogre

nova-diretoria-procerva

Nova diretoria da PROCERVA – Gestão 2017/2018

 

E algumas palavras do presidente Luciano Wengrzinski sobre a sua gestão e os votos para a próxima.

“Gostaria de agradecer à todos os associados da Procerva pela confiança que depositaram na gestão 2015/2016 e à todos os membros da diretoria que comigo formaram esta administração e a todos os demais associados que de alguma forma estiveram atuantes , sem esquecer da antiga diretoria que nos passou uma Procerva forte e com rumos definidos. Deixo aqui meu total apoio e sucesso à nova diretoria, continuarei atuante e disposto a contribuir com a nova diretoria para manter cada vez mais à nossa associação unida e fortalecida.

Meu muito obrigado.
VIDA LONGA À PROCERVA!”
Por em News 0

Curitiba vira “Vale do Silício” cervejeiro

Curitiba vira “Vale do Silício” cervejeiro

Microcervejarias da capital aproveitaram troca de experiências e interesse pela bebida artesanal para conquistar repercussão nacional

Reconhecida hoje como um celeiro de startups que recorrem à tecnologia para lançar novas plataformas e serviços inovadores, Curitiba também tem se firmado como o reduto de um grupo de entusiastas que caminha na direção contrária, se valendo de conhecimentos milenares e receitas passadas de geração em geração para transformar a paixão pela cerveja artesanal em profissão. Aqui, cozinhas e garagens fazem as vezes de laboratórios e incubadoras, enquanto familiares e amigos assumem o papel de “mentores”, com a responsabilidade de “testar” o produto final e analisar se ele está pronto para o mercado.

Segundo a Associação das Microcervejarias do Paraná (Procerva), das 34 empresas do ramo no estado, 25 estão localizadas na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), sendo que 16 estão sediadas na capital – o número pode ser maior, visto que nem todas são filiadas à entidade. Assim como o boom dos pequenos negócios de tecnologia, o fortalecimento da “nova geração” dos cervejeiros artesanais é recente, remontando ao fim da década passada. Similaridades entre os ecossistemas de startups e de microcervejarias da capital, inclusive, não faltam – principalmente no que se refere à troca de experiências, compartilhamento de espaços e forte ligação entre os seus membros.

Na grande maioria, trata-se de cervejeiros caseiros que começaram a produzir por hobby e, ao “acertar a mão”, decidiram investir no negócio próprio. Caso do fundador da Associação dos Cervejeiros Artesanais Paranaenses (Acerva-PR) e sócio da Way Beer, Alessandro Oliveira. A criação da associação, em 2010, e o início dos trabalhos da cervejaria Bodebrown, em 2009, que passou a vender os insumos para as bebidas e dar aulas de como produzir a cerveja em casa, estão entre os acontecimentos que ajudaram a sedimentar o caminho para os novos empreendedores.

“Conseguimos alguém para importar os insumos e tínhamos espaço para montar uma escola. E assim conseguimos formar um grande número de cervejeiros caseiros na cidade, que ao mesmo tempo são formadores de opinião” relata Oliveira. A estimativa de Samuel Cavalcanti, fundador da Bodebrown, é que 2,5 mil pessoas tenham passado pela escola da cervejaria desde então – o que também fez surgir uma nova demanda de consumidores.

Produção terceirizada facilita negócios

Uma das vantagens que facilita o surgimento de novas microcervejarias em Curitiba e região é o fato dos empreendedores não precisarem arcar com os custos de possuir uma fábrica própria. Em geral, a produção ocorre sob demanda e é centralizada em poucos locais – os tanques da Gauden Bier, em Santa Felicidade, que têm capacidade para produzir 120 mil litros por mês, estão entre os mais procurados. A Bodebrown e a Way Beer, de Curitiba, e a Anhangava, de Quatro Barras, estão entre as poucas microcervejarias com produção própria.

Outro ponto reforçado pelos empresários é a boa adesão dos curitibanos à cerveja artesanal. “É impressionante notar como desde o primeiro momento o público curitibano comprou a nossa briga. É uma ‘tribo’ que herdamos do rockabilly, dos carros antigos, que já eram consumidores da Diabólica (uma das cervejarias pioneiras da cidade)”, relata o co-fundador da Morada Cia Etílica, André Junqueira.

Apesar do boom recente, é consenso de que o ecossistema de microcervejarias em Curitiba e região ainda é incipiente e tem potencial para crescer. “Em cinco anos, ganhamos prêmios internacionais e o mundo lá fora reconheceu Curitiba. Podemos ser, para a cerveja artesanal, o que Bento Gonçalves é para o vinho”, afirma o fundador da Bodebrown, Samuel Cavalcanti.

– – – –

COPA DE 9 A 11 DE JUNHO EM CURITIBA
Curitiba será sede em junho da South Beer Cup, evento que reúne microcervejarias de toda a América Latina e contempla a avaliação das bebidas por uma banca de juízes.

UMA LUTA ANTIGA
Uma das principais reivindicações dos cervejeiros é a revisão da tributação que incide sobre as microcervejarias – na prática, não há distinção de obrigação fiscal entre as grandes empresas de bebidas e as que produzem em pequena escala. O fato de boa parte da matéria-prima ser importada é outro fator que pressiona os custos de produção, ainda mais em tempos de dólar a R$ 4. “Acredito que o setor poderia ter crescido muito mais não fossem as dificuldades que nos são impostas pela alta carga tributária, que em alguns casos chega a ser maior do que a das megacervejarias”, afirma o presidente da Procerva e fundador da Wensky Beer, de Araucária, Luciano Wengrzinski.

 

Fonte: Gazeta do Povo – Texto publicado na edição impressa de 18 de janeiro de 2016

Por em News 0

PROCERVA participou da Audiência Publica do #bemmaissimples

Ontem (22/06/2015) a PROCERVA compareceu a audiência pública do #bemmaissimples. Projeto da Frente Parlamentar da Micro Empresa que visa ampliar o Simples Nacional.

O ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa (SMPE), Guilherme Afif Domingos, palestrou no Sebrae, em Curitiba, numa audiência pública para promover o debate sobre as mudanças na tabela do Simples.

A nova tabela promoverá uma melhor transição dentre as diferentes faixas de renda. Os patamares atuais impedem o crescimento de empresas ao aproximar-se da mudança de faixa e reduzindo os investimentos para evitar um aumento da carga tributária.

A proposta amplia a faixa de benefícios para microempresas que faturam de R$ 360 mil para R$ 900 mil por ano. Já para as pequenas empresas que faturam até  R$ 3,6 milhões, o teto será ampliado para R$ 14,4 milhões. Para microempreendedores individuais, o valor limite dobraria e passaria ser R$ 120 mil reais anuais. A Comissão Especial irá se reuniao no dia primeiro de julho para analisar a proposta e irá a plenário provavelmente em agosto. Veja a entrevista com o Ministro:

Veja o que disse o deputado João Arruda sobre o projeto.

E o que Ronaldo Flor da Gauden Bier disse sobre o atual momento das microcervejarias paranaenses.

É uma iniciativa que ajuda as micro e pequenas empresas no Brasil, estamos confiantes que estas mudanças irão passar e entrar em vigor com a maior breviedade possível.

As imagens são do www.paranaportal.com.br.

Por em News 0

South Beer Cup 2016 será em Curitiba

Conforme já anunciado durante a premiação da South Beer Cup 2015 em Mar Del Plata, Curitiba foi a cidade escolhida para ser a sede da competição em 2016.

O evento tem suas sedes alternando entre Argentina e Brasil e na sua sexta edição chega a Curitiba. Além do concurso, teremos palestras, visitas as cervejarias e bares especializados. Além de festas para o pessoal que virá ao concurso.

Este ano as cervejarias da PROCERVA ganharam 7 medalhas de ouro, 4 de prata e 3 de bronze. Ano que vem jogaremos em casa e esperamos ganhar mais medalhas. Apesar de que a cada ano, o nível de qualidade das cervejas tem aumentado e as medalhas estão cada fez mais difícies.

Mais detalhes sobre o evento como data, local, hotéis serão divulgados em breve. Temos muito trabalho pela frente para realizar o maior evento cervejeiro da América Latina.

Mãos à obra!

Por em News 1

Novo site da PROCERVA

O novo site da PROCERVA está no ar. Ele será o nosso canal de comunicação.

Nele você poderá saber mais sobre a nossa associação, nossos associados, objetivos e causas pelas quais lutamos.

Fique ligado e atento as nossas novidades.